quarta-feira, 30 de setembro de 2009

30 de setembro

Último dia para a entrega da declaração do I.T.R. e para pagamento sem multa do imposto mas os bancos estão em greve. Será que haverá alguma tolerância ? Estou dando um jeito de pagar eletronicamente mas , cá entre nós , fazer esforço para pagar imposto, quando todos os nossos recebimentos estão congelados pela paralisação grevista, é de matar.

Simprotec já começou

A solenidade de abertura ocorreu agora há pouco. Este simpósio sobre carnes em geral é realizado pela segunda vez durante o Rural Tecnoshow . Direcionado ao público estudantil , conta com palestrantes de altíssimo nível e discute aspectos técnicos e veterinários relacionados à produção de carnes. Na abertura, o Professor Moura representou o reitor Wilmar Marçal. Ambos foram meus professores na UEL, no curso de medicina veterinária.

Leilão 10 Marcas

Ontem o Leilão 10 Marcas estava bombando. Muito público, muito gado e excelentes negócios. Os grandes compradores estavam presentes , o André Carioba, o Pedrinho Pagan entre outros . Não fiquei até o final mas, pelo jeito a comercialização geral deve ter ficado próxima dos R$ 800 000,00. Hoje, teremos os números oficiais.

Ops! Falha nossa.

Na postagem do discurso de abertura do IV Rural Tecnoshow , ou melhor , na transcrição para este blog do discurso que proferi , ficaram faltando os agradecimentos ao apoio sempre fundamental tanto do Ministério da Agricultura quanto da UEL. Falha grave , mas que estou corrigindo agora aqui e no texto postado ontem também.

Postagens atrasadas

Estou com postagens atrasadas mas, ao longo do dia, coloco a casa em ordem. Mas só para não deixar de falar sobre o dia de ontem no Rural Tecnoshow, a palestra do Dr. Inácio Kroetz, Secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura ocorrida ontem foi excelente. Para sermos justos , o atual trabalho relativo à sanidade animal e vegetal do MAPA tem sido de alto nível e internacionalmente reconhecido . É por isso que estamos cada dia mais convictos de que o Brasil deverá, a curto prazo, ter todas as suas regiões consideradas como áreas livres de febre aftosa, algumas com vacinação , outras sem vacinação. Mais tarde, ao longo do dia , coloco as informações em dia.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

O Rural Tecnoshow já começou

Desde esta tarde de segunda feira, o Rural Tecnoshow está rodando. A abertura , que não pode contar com a presença do Governador Roberto Requião e do secretário da agricultura Walter Bianchini , precedeu ao excelente encontro do Trigo. O Governador e Secretário não puderam estar presentes pois o tempo em Curitiba estava pouco amigável a decolagens.

Abertura prestigiada, a chuva ajudou!

Pois é , a chuva que impossibilitou a presença do Governador na solenidade de abertura paradoxalmente garantiu a presença de muitas lideranças ligadas à cadeia do trigo e da própria imprensa. Foi o excesso de chuva que comprometeu a nossa safra ao tornar ineficaz o combate às doenças fúngicas que infestaram nossas lavouras .Isto motivou o comparecimento de nossas lideranças no encontro. A imprensa, que compareceu em peso, já percebeu que há um grave desentendimento entre produtores e seguradoras e procurou elucidar quais são os pontos de divergência. As seguradoras alegam que as apólices não cobrem perdas por doenças. Nós , produtores, afirmamos que a causa das perdas foram , em última instância, ocasionadas pelo excesso de chuvas e não por qualquer omissão do produtor quanto à aplicação de defensivos químicos que, de fato, foram intensamente utilizados.

Painel de apresentações , debates e conclusões.

Os painéis apresentados durante o encontro “ Trigo Brasil: situação atual e desafios” foram de altíssimo nível. A platéia , por sua vez, composta de produtores, cooperativas , negociantes , industriais e técnicos, reforçou a qualidade do encontro. Acordamos que ao longo da semana elaboraremos um documento que será encaminhado a diversas autoridades que de alguma forma possam influenciar os destinos da produção do trigo brasileiro.

Leilão 3M

Quando saí da Rural , já havia começado o primeiro leilão de nossa agenda. O leilão 3M iniciou comercializando fêmeas de corte, muito boas por sinal , e iria encerrar com uma bateria de reprodutores . Quando saí, as fêmeas já haviam sido todas muito bem vendidas. Os touros nelore, excelentes como há muito tempo não víamos em um leilão aqui na Rural, estavam começando a ser vendidos.

Amanhã tem o I Simpósio Regional sobre qualidade da água e meio ambiente

Este simpósio tem tudo pra ser um sucesso. Ao contrário de muitas discussões teóricas à respeito da importância da conservação de nossos recursos hídricos, este simpósio irá discutir o impacto da qualidade da água nos resultados na produção de leite, hortaliças , etc. Também serão apresentadas algumas experiências bem sucedidas na preservação de fontes e reservatórios de água. Discussão ambiental com utilidade prática.

Discurso de abertura do IV Rural Tecnoshow

Senhoras e senhores, boa tarde.

Pelo quarto ano consecutivo , promovemos nosso Rural Tecnoshow. Este evento , quando idealizado , pretendia limitar-se ao consumo interno dos sócios da Sociedade Rural do Paraná que poderiam assim, através de uma agenda técnica de palestras , seminários e cursos , buscar o aprimoramento da prática agrícola .

Não há dúvida de que nossas acanhadas pretensões iniciais foram superadas. O Rural Tecnoshow , hoje , inclui em sua agenda eventos de excelência sob o ponto de vista técnico e incorporou tamanha diversidade em sua programação que a comunidade de participantes ampliou-se para muito além do quadro de sócios desta instituição. .
.
Senhoras e senhores , para a realização deste IV Rural Tecnoshow, elegemos como tema de destaque o trigo. O Trigo, produto agrícola que o Brasil não possui auto-suficiência , que o Paraná responde por mais da metade da produção nacional necessita passar por uma ampla discussão envolvendo todos os elos da cadeia deste cereal. A nossa expectativa é que os debates que serão travados , possam contribuir para o aprimoramento de nossa política agrícola para a produção de trigo. Uma política que garanta pão ao consumidor , insumo para a indústria , renda ao produtor e auto-suficiência ao Brasil. Conhecemos as acertadas iniciativas, tanto do governo federal quanto do governo estadual, voltadas ao estímulo à produção doméstica do trigo.Entretanto, a safra deste ano, tão comprometida pelas adversidades climáticas, nos alerta à respeito da dimensão do desafio que será alcançar a auto-suficiência na produção.

Em 2006 , quando criamos este evento , vivíamos ainda a ressaca da decretação dos focos de febre aftosa em nosso Estado e esta foi uma das razões para transformarmos o evento EuroZebu, focado principalmente na comercialização de bovinos, neste Rural Tecnoshow.

Hoje , ao percebermos o tempo que se passou , ao observarmos o trabalho executado, por produtores, técnicos ,autoridades estaduais e federais , é que nos damos conta do quanto avançamos e onde podemos chegar. O Paraná já é considerado uma região livre de febre aftosa com vacinação , mas parece natural que, mais cedo ou mais tarde, possamos extinguir por completo a vacinação, visto que há muito não se detecta sinal algum da presença do vírus da febre aftosa em nosso estado. Aliás , há muito tempo mesmo, certamente mais do que os quatro anos alegados pelas autoridades sanitárias federais.

Eliminando-se as vacinações, atingiríamos o ápice sob o ponto de vista sanitário de qualidade em nossos rebanhos e , além da expectativa de abertura de novos mercados internacionais , além de passarmos a fornecer ao consumidor brasileiro e paranaense a melhor carne bovina mundial , abriríamos as portas do estado para novos investimentos.

Estes Investimentos viriam de grupos agroindustriais interessados em matéria-prima nobre, como assim será considerada a carne paranaense e seus derivados industriais; em nosso leite e em toda a imensa gama de derivados lácteos , aptos a ocuparem espaços nas gôndolas dos supermercados de todo o mundo. Este é o caminho natural que certamente iremos trilhar.

Senhoras e senhores , é evidente que não poderíamos promover um evento desta magnitude ,se não contássemos com o apoio de alguns importantes parceiros. A FAEP , o Sindicato Rural de Londrina, o SENAR , a Emater , a Embrapa , a Emater , o IAP , o Iapar, a SETI , a Sema, a SEAB, o Ministério da Agricultura e Pecuária e a UEL , Universidade Estadual de Londrina, nossos diversos parceiros comerciais e , de maneira decisiva , o próprio Governo do Estado do Paraná que , como o Governador Roberto Requião sempre afirmou , jamais deixou que faltassem recursos para a realização de eventos técnico capazes de qualificar a agropecuária paranaense.

Enfim: palestras , seminários , tecnologia , informação , exposição e negócios . Tudo isto é o IV Rural Tecnoshow que começa hoje e se estende até domingo.A todos os participantes , reafirmo as boas vindas e espero sinceramente que aproveitem ao máximo este importante encontro da agropecuária paranaense e nacional.

Muito obrigado

domingo, 27 de setembro de 2009

Rural Tecnoshow começa nesta segunda

Começa nesta segunda-feira o IV Rural Tecnoshow. A abertura oficial será às 14:00hs , com a presença do Governador Requião e de outras importantes autoridades. Na sequência , começa o seminário "Trigo Brasil - Situação atual e desafios". Ainda há vagas em algumas palestras , pois a limitação de vagas depende apenas da dimensão do recinto e a Rural tem auditórios amplos. Já os cursos práticos , que tem limite de inscrições, estão com as vagas esgotadas desde a semana passada. A noite , a programação conta com o leilão da Estância 3M.

Jogo treino

O jogo treino do Corinthians contra o São Paulo , preparatório para a campanha da Libertadores, acabou empatado. Gol do Gordo , estréia do argentino , as coisas estão caminhando bem , de acordo com o planejamento.

sábado, 26 de setembro de 2009

Agricultores não fazem guerras , fazem palestras.

Na verdade , as nações de agricultores da antiguidade faziam guerras , sim. Mas apenas entre o plantio e a colheita , quando podiam deixar suas lavouras aos cuidados da natureza, dos anciãos , mulheres e crianças. É mais ou menos como agora, o agricultor tem dificuldade de mobilização, vez ou outra promove um Rural Tecnoshow para discutir técnicas e fazer um pouco de política. Ainda assim, tem que caprichar na data porque se chover vai todo mundo plantar , se estiar, vai todo mundo colher.

Nações de caçadores e coletores eram presas fáceis

Isto é lógico , as nações indígenas americanas, dependentes da caça e da coleta de alimentos ,jamais puderam fazer grandes exércitos pois não havia alimentação suficiente nos campos de batalha para um grupo grande . Apesar da extrema habilidade destes guerreiros na arte da guerra, os índios norte-americanos caçadores de búfalos foram dizimados quando confrontados com exércitos numericamente muito maiores com toda a infra-estrutura alimentar na retaguarda.

Nações de pastores eram temidas

Os tártaros e árabes eram temidos. Podiam se deslocar com seus rebanhos durante suas campanhas o que possibilitava a formação de marchas constituídas de duzentos, trezentos mil guerreiros, supridos por alimentos , sempre que houvesse pastos. Sua desvantagem era que seus deslocamentos incluíam as mulheres e crianças. Dizem que as mulheres tártaras iam à guerra , também. Entretanto, quando se perdiam batalhas , tanto as mulheres quanto as crianças faziam parte do butim do conquistador.

Nações desenvolvidas e soldos

Com o desenvolvimento das manufaturas e ofícios e o crescimento da importância econômica dessas atividades em algumas nações antigas, a defesa da soberania passou a ser feita por soldados remunerados. Esta especialização, primeiramente através das milícias e posteriormente com a formação dos exércitos permanentes foi o que propiciou à Roma tornar-se o Império grandioso tão decantado através da história.

Soldados da agricultura

Fazendo uma analogia entre estas considerações sobre nações e guerras, que não são minhas, são de Adam Smith, e a dificuldade de reação política de nós agricultores brasileiros, dá até para concluir que precisamos de prepostos para defender-nos junto a governos , corporações , etc... Aliás , foi mais ou menos isso que o Almir Monteceli disse durante o seu discurso na solenidade de comemoração aos 10 anos de existência da Fundação Meridional. Fez uma comparação entre a atuação dos agricultores norte-americanos e sua respectiva bancada no congreso e a nossa . No Brasil , existem poucos deputados e senadores realmente comprometidos com a agricultura, ressalvando-se o comprometimento da bancada paranaense.

Exército fortalecido ou palestras e seminários...

Esse é o dilema. Precisamos fortalecer nosso exército. Ampará-los com informações , demandas e a pressão constante que deve ser feita diariamente por nossas entidades representativas. Em um segundo momento, ampliarmos este exército com legítimos defensores dos produtores .Caso contrário , somente nos restará o aprimoramento técnico , a especialização produtiva em eventos onde nos encontramos e discutimos nossos problemas,o que também é importante. Entretanto , estes eventos tem sua eficácia abalada ao primeiro sinal de chuva e a necessidade de abandonarmos o campo de batalha para plantarmos a próxima safra. Por incrível que pareça, nos comportamos exatamente como os guerreiros das antigas nações de agricultores o faziam, quando abandonavam suas campanhas para plantarem e colherem seu sustento...

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Canal Rural

Daqui há pouco , vou ser entrevistado pela Kátia , para o Canal Rural. O tema é a preocupação entre os produtores e industriais da cadeia da cana-de-açucar diante do entusiasmo governamental ante o “Pré-sal”.

Olhos brilhando

O pré-sal fez os olhos de muitas autoridades brilharem. A expectativa de produção e exploração deste petróleo profundo e as respectivas compensações financeiras fizeram com que muitos se esquecessem de que se trata da principal matriz geradora de combustíveis fósseis, aqueles mesmos que tem contribuído para o aquecimento global.

O pré-sal é importante

Claro, não vamos desprezar o pré-sal. Certamernte, nossa independência definitiva desta fonte de energia é algo a ser garantido e comemorado. A exploração econômica também , até porque seria absurdo apostarmos todas as nossas fichas em uma única fonte de energia : o ideal é sim uma matriz diversificada e o petróleo certamente tem ainda um importante espaço na matriz energética brasileira e mundial.

O biocombustível também é importante

Não há dúvida alguma : nosso etanol é uma fonte de energia renovável fantástica e não podemos abrir mão dele apenas por razões econômicas. Já se foi o tempo em que podíamos nos dar ao luxo por optarmos preferencialmente por esta ou aquela fonte de energia unicamente baseado nas relações de custo/benefício clássicas. As variáveis ambientais , os protocolos internacionais que deveremos ser signatários e a própria lógica estratégica exigem que o Brasil mantenha uma política de apoio à nossa produção de etanol e de outras fontes de energia alternativas.

O fundo do pré-sal

Muito se tem discutido à respeito da distribuição dos futuros royalties que serão gerados e entre estados produtores e não produtores. Entretanto , além dos royalties , há a previsão da formação de um fundo de recursos oriundos da exploração desta reserva de petróleo e a sua destinação pode ser fonte de financiamento exatamente dos investimentos necessários para a manutenção dos programas e projetos relacionados às energias limpas e renováveis , especialmente o etanol . Esta seria uma demonstração clara e inequívoca de opção estratégica também pela energia renovável , pela agroindústria nacional e pelo meio-ambiente.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Rural Tecnoshow começa segunda-feira

Segunda, dia 28 de outubro, começa o 4º Rural TecnoShow. Estamos contando com 2000 participantes em nossas palestras e cursos, sem contarmos o público que deverá participar de nossa agenda de leilões.Na coordenação geral, o Médico Veterinário e diretor de atividade agroindustrial da Rural, Luigi Carrer Filho

Palestras, ainda há vagas:cursos práticos já estão lotados

Ainda há vagas para a participação nas palestras do 4º Rural Tecnoshow. Os cursos práticos, de produção de conservas, artesanato em bambu , recomposição de matas ciliares, gerenciamento técnico e econômico de rebanhos , mercado futuro e panificação já estão com todas as vagas preenchidas. Cursos de excelência e gratuitos que já contam com lista de espera.

Trigo

O nosso encontro que discutirá a política nacional do trigo ganha uma importância maior do que o previsto pela quebra da safra regional. Quando idealizamos o encontro, esperávamos estar vivendo um cenário diferente mas o excesso de chuvas e a alta incidência das doenças fúngicas nos faz lembrar o quanto será difícil alcançarmos a auto-suficiência brasileira na produção de trigo.

Manejo da Reserva Legal

Esta palestra tem especial importância porque apresentará aos produtores as alternativas legais de utilização econômica das reservas legais. Considerando a importância da preservação ambiental no mundo contemporâneo, acredito que muitos produtores que já possuem suas reservas ou estão em fase de recomposição, venham a se interessar pelo assunto. Acredito que a curto prazo preservar será também um bom negócio, com duplo sentido.

Simpósio regional sobre qualidade da água

Durante a manhã de terça feira, a preservação das fontes naturais de água e os impactos da utilização da água de qualidade na agropecuária serão debatidos por especialistas da Emater PR, da UDESC Florianópolis, entre outros.

Mercado da carne, rastreamento e credenciamento de propriedades

O Dr Ignácio Kroetz, Secretário da Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, discorrerá sobre este tema de absoluta importância, especialmente aos produtores do Paraná. Já há quatro anos cumprindo exemplarmente os protocolos nacionais e internacionais sanitários, caminhamos certamente para adquirirmos o reconhecimento de estado livre de febre aftosa sem vacinação. É esperar para ver.

Palestras noturnas : Sucessão familiar e motivação

Pela primeira vez o Rural Tecnoshow abordará temas que também interessam à comunidade em geral, não se limitando ao setor agropecuário. A palestra sobre sucessão familiar com Renato Bernhoeft e a palestra com o Prof Gretz são abertas ao público em geral e, por isso , serão realizadas à noite.

Leilões

A agenda de leilões do Rural Tecnoshow já é a segunda mais importante do calendário paranaense, em termos de faturamento, perdendo apenas para a agenda da nossa Expolondrina , realizada em Abril.A Expoinel Paraná , exposição internacional do Nelore,é responsável por 80% de nossa agenda.

Mangalarga

Também fará parte da programação do RTShow, a Copa de Andamento de Londrina da Raça Mangalarga. Trata-se de uma prova de andamento, premiando os eqüinos da raça mangalarga com maior perfeição no andamento. O Mangalarga, uma raça de sela, seleciona especificamente o andar de seus exemplares.

Até cães

Compondo a diversidade do Rural Tecnoshow será realizado no dia 3, sábado, a VII edição do Royal Canin Dog Show. Esposição e julgamento de cães de mais de 60 raças já confirmadas vindos de todo o Brasil. É muito bacana, programa legal para um sábado à tarde e o que é melhor, gratuito.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Pesquisa eleitoral


Ontem tivemos acesso aos resultados da pesquisa eleitoral do IBOPE. Dois números se destacam: a incrível aprovação do Governo Lula, mais de 80%, e a grande rejeição de Dilma e Heloisa Helena, ambas com 40%.

Sabedoria coletiva

Há algum tempo li um livro muito interessante que aborda a questão das decisões coletivas e como elas podem prevalecer, em termos de resultado, sobre as decisões individuais.
Naquele livro são apresentados vários casos e estudos à respeito da sabedoria coletiva e sua aplicabilidade no mundo corporativo. Não se trata de utilizar-se de pesquisas para a tomada de decisão. Trata-se da utilização da diversidade, do conhecimento multidisciplinar etc, para a tomada de decisões.

Ônibus espacial Challenger


O caso do ônibus espacial foi abordado no tal livro. Em 28 de janeiro de 1986, o ônibus espacial Challenger iniciou seu vôo a partir do Cabo Canaveral rumo ao espaço, e setenta e quatro segundos após, explodiu. O televisionamento garantiu que a notícia se espalhasse rapidamente.

8 minutos

Apenas oito minutos após a explosão, a primeira reportagem chegou ao Dow Jones News Wire, na bolsa de valores de Nova York.

Reação do mercado

Em poucos minutos, as ações das quatro principais empresas que tinham participado do lançamento do Challenger começaram a despencar: Rockwell, que construiu o ônibus e seus motores; a Lockheed, que administrava o apoio em terra; a Martin Marieta, que fabricou o tanque de combustível externo da nave e a Morton Thiokol, que construiu o foguete de combustível sólido.

20 minutos

Após 20 minutos as ações de três das empresas citadas haviam caído entre três e cinco por cento. As ações da Morton Thiokol, a fabricante do foguete de combustível sólido, simplesmente tiveram que ter a negociação interrompida, pois todos queriam vendê-las e ninguém queria comprá-las.

1 hora

Uma hora após a interrupção das negociações, as ações da Thiokol caíram imediatamente 6% para atingirem a marca de 12% ao final do dia. Por outro lado, as ações das outras três empresas estabilizaram-se em queda de 3%.

6 meses

Seis meses depois da explosão a Comissão Presidencial sobre a Challenger revelou que os anéis de vedação dos foguetes feitos pela Morton Thiokol se tornaram menos elásticos, criando falhas na vedação permitindo que gases escapassem. A Thiokol foi considerada culpada pelo acidente e as outras empresas foram inocentadas.

Estudo

Este caso foi estudado pelos financistas Michel T. Maloney e J. Harold Mulherin. Procuraram entender como o mercado, coletivamente, sem nenhuma informação realmente relevante, identificou em apenas 20 minutos o que a Comissão Presidencial, com muito mais informações, levou seis meses para descobrir. Em outras palavras, em meia hora após a explosão da nave, o mercado de ações sabia qual empresa era a responsável pelo desastre.

Como o mercado de ações acertou?

O mercado foi esperto aquele dia porque satisfez as quatro condições que caracterizam as massas sábias: diversidade de opinião (cada pessoa tem uma informação pessoal), independência, descentralização e agregação (havia algum mecanismo para transformar as avaliações pessoais em uma decisão coletiva, no caso a própria comercialização direta das ações.

Mediocridade e excelência

Se pedirmos a 100 pessoas para que corram 100 metros e então calcularmos a média de seus tempos, o tempo médio certamente será inferior ao dos melhores corredores. Entretanto , se pedirmos a um grupo de 100 pessoas que responda a uma pergunta qualquer, desde que este grupo seja diversificado e independente, a resposta média com muita frequência será tão boa ou até mesmo melhor que a resposta do mais inteligente. Normalmente, a média reflete mediocridade, mas na tomada de decisões pode significar excelência. A democracia explica bem isso.

Enquanto espero ...

Essa divagação toda ocorreu porque estou imprimindo um material de mais de duzentas páginas que pretendia utilizar para as postagens de hoje. Agora vou deixar como está. Vamos de "sabedoria coletiva".

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Araucária


Quem falou que a centésima milionésima muda plantada do programa de matas ciliares do Paraná seria uma peroba-rosa enganou-se: foi uma araucária.Aliás, acho que fui eu que falei.

Até que está certo

Considerando a simbologia que uma araucária carrega como típica árvore do Paraná, até que está certo que seja esta a espécie escolhida para marcar um plantio tão importante. Mas uma peroba-rosa também não ficaria ruim , não.

Também plantei uma muda

Bem , além de se plantar a muda simbolizando as 100 000 000 de mudas do programa ,também foi iniciado o plantio da primeira coleção botânica do Jardim Botânico de Londrina . Plantei uma das mudas. Já me esqueci do nome da espécie, confesso que não a conhecia. Uma mudinha espinhenta que contará com uma plaquinha registrando que foi plantada pelo então Presidente da Sociedade Rural do Paraná.

Jardim Botânico

Muita gente pega no pé do empreendimento pois já ocorreram inúmeras solenidades relativas à ele, mas é inegável a beleza e grandiosidade do nosso Jardim Botânico. Será sem dúvida alguma um marco para o desenvolvimento urbano de Londrina, garantindo para a posteridade uma imensa área verde , 45 alqueires aproximadamente, comparável aos grandes parques urbanos do mundo como o Central Park em Nova York e o Hyde Park em Londres. É lógico, um parque é diferente de um Jardim Botânico , mas o impacto urbanístico tem alguma similaridade.

O primeiro foi de Platão


O primeiro Jardim Botânico que se tem registro foi o de Platão , que o implantou conjugado ao seu Liceu, na Grécia antiga.Durante o século XVII, as principais cidades européias implantaram seus Jardins Botânicos. O do Rio de Janeiro foi implantado em 1808, ano da vinda da família real portuguesa ao Brasil, fugindo de Napoleão.

Por falar em Napoleão...

Os discursos foram interessantes. Cheida lembrou Napoleão Bonaparte que , segundo o deputado, afirmou que se cada parisiense limpasse a frente de seu imóvel, bastariam 15 minutos para limpar-se toda a cidade de Paris. Utilizou-se desta referência para explicar a estratégia elaborada para se atingir as 100 milhões de mudas.

Minucioso

O atual secretário do Meio Ambiente Rasca fez um longo e minucioso relato de todo o programa, citando nominalmente os principais responsáveis , as principais dificuldades e destacando , é claro, o retumbante sucesso alcançado, ratificado por premiações nacionais e internacionais

Hauly provocou

O deputado Federal Hauly abordou a questão do etanol, nosso biocombustível ambientalmente correto e fez citação de uma passagem bíblica de Isaías. Pertinente, mas provocativo, pois quem faria uso da palavra logo após seria exatamente o padre, o padre Roque.

Padre Roque

Padre Roque não titubeou. Discursou como se estivesse pregando.Cantou e fez o público cantar junto, enfim , mostrou que ainda se lembra perfeitamente de seu antigo ofício. Até o Hauly cantou.

Pessutão

Depois de Requião, Pessutão. Foi assim que o vice-governador encerrou seu discurso. Mas começou cantando,mesmo antes dos habituais cumprimentos entoou o hino já cantado pelo padre Roque e a plateia cantou junto.

Bom de discurso

Já acompanhei vários discursos do vice-governador Orlado Pessuti . Recentemente tem sido muito mais feliz em sua oratória. Tem sido simpático, atencioso com as lideranças políticas e tem conseguido prender a atenção da plateia. Tem gente que acha que o vice-governador não tem chance na disputa pelo governo de estado em 2010. Discordo. Acho que estão subestimando um vice-governador de dois mandatos , de duas vitórias eleitorais seguidas ao lado de Requião.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

G-20 quer enquadrar playboys do sistema financeiro

Entre tantas importantes discussões que serão travadas durante a próxima reunião do G-20, que será realizada em Pittsburgh, USA, a bonificação dos executivos do sistema financeiro também será objeto de acaloradas discussões.

Preparados

Extremamente bem preparados, jovens , ambiciosos e com poucos compromissos e normas a controlar suas ações, esses verdadeiros “playboys” do sistema financeiro, motivados por uma sistemática que os bonificava sobre lucros sem se atentar para os riscos assumidos, tiveram uma grande responsabilidade pela crise financeira mundial.

França X USA

A França defende limites aos super-salários dos executivos, incluindo multas a quem desrespeitar essas regras , correlacionando o nível de capitalização do banco e o teto de remuneração do profissional. Os USA defendem que as bonificações sejam regulamentadas de forma a incentivar resultados a longo prazo , mas não apoiam tetos ou limites.

Outros assuntos

Esperamos que as discussões não sejam limitadas à essa questão que considero, sim , importante, mas é evidente que há muito mais a se discutir nesta reunião, principalmente porque com o arrefecimento da crise mundial, os governos provavelmente passarão a evitar ações que sejam impopulares, mesmo que importantes à médio prazo.

Atenderam o Zé.

Atenderam o Zé, o José Luiz Vicente da Silva, presidente da Associação Paranaense de Suinocultores e diretor de suinocultura da Sociedade Rural do Paraná. O Zé é uma das mais combativas lideranças da suinocultura brasileira.Passou hoje de manhã na Rural e estava bem satisfeito.

Isenção de ICMS

Essa era uma das reivindicações do Zé , atendidas pelo Governador Requião que assinou decreto isentando do Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços a comercialização de suínos vivos com outros Estados , tal qual Santa Catarina e o Rio Grande do Sul.

Luz na suinocultura

Também foi realizada a primeira ligação formal do Prosuíno, Programa Suinocultura Noturna. O programa concede desconto de até 70% na conta de energia elétrica dos suinocultores sobre o consumo entre 21h e 6h.

Tudo isso em Toledo

Estas ações ocorreram em Toledo , durante solenidade de comemoração referente à superação do 1 Bilhão de reais referentes ao Valor Bruto da Produção agropecuária do município de Toledo, recorde entre os 399 municípios do Estado do Paraná

Corinthians

Não vamos perder tempo tratando da derrota de domingo. O foco é outro: a libertadores.

Informações dos bastidores

Quinta-feira encontrei-me com um corintiano importante, de carteirinha. Próximo do núcleo de poder do time paulista , contou-me, extra-oficialmente, como está sendo planejada a trajetória rumo ao título da Libertadores.

Parceria com Ronaldo

O Ronaldo não é apenas jogador do Corinthians, é também um parceiro. Investe em jogadores, colabora na construção do grupo competitivo que deverá disputar a próxima Copa Libertadores da América.

RÔ-RÔ

Quem não se lembra da dupla RÔ-RÔ ? Ronaldo e Romário, apesar de não terem jogado muitas partidas juntos pela seleção , jamais perderam um jogo sequer! O mesmo ocorreu com Pelé e Garrincha: jamais perderam qualquer jogo quando defenderam a seleção juntos. E jogaram muito mais vezes que o Ronaldo e o Romário. Uma dupla de peso, sem duplo sentido, está nos planos do Corinthians e do Ronaldo.

RÔ-RÍ ?

Foi isso que entendi: Riquelme já é do Corinthians! Ou melhor, do Ronaldo! Riquelme já estaria contratado pelo centro-avante corintiano e está apenas aguardando o momento certo para fazer o anúncio. Questões internas do Boca, nada além disso. Que tal Riquelme lançando e Ronaldo finalizando? Dá para ganhar a libertadores?

Libertadores e seleção

Claro, um time com Ronaldo e Riquelme disputa qualquer campeonato do mundo com chances de vitória. Mas há algo mais nesta atitude do “Gordo”. O Riquelme seria o parceiro perfeito para pavimentar seu caminho de volta à seleção brasileira. Com um meia do padrão do argentino, fica muito mais fácil marcar gols e chamar a atenção do Dunga.

Será?

Eu realmente fiquei surpreso com esta história toda, o projeto libertadores do Coringão. Vamos aguardar , pode ser que não passe apenas de conversa de aeroporto, com embarque atrasado...Ou não?

domingo, 20 de setembro de 2009

Sem postagens no fim-de-semana

Estou em São Paulo, desde sábado . É por isso que não postei nada desde sexta à noite. O pior é que estou com assunto acumulado.Vou ter que me controlar quando for postar para não exagerar.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Estamos de volta

A ida à Brasília foi muito produtiva. Além de acompanhar o lançamento do Zoneamento Agroecológico da cana-de-açucar, o ZAE-CANA na sede da Embrapa, pude conversar com deputados federais, ministros e, muito rapidamente, também com o presidente Lula.

Com Zequinha Sarney

Pois é, nos meios políticos o Deputado Federal José Sarney Filho (PV-MA) é conhecido como Zequinha Sarney. Ele é líder da bancada ambientalista no congresso e me recebeu em seu gabinete. Demonstrando sensatez, concorda que o decreto que exige a averbação das áreas de reserva legal até dezembro deva ser prorrogado pois ainda há muito a ser aprimorado em termos de legislação ambiental: a questão não pode ser reduzida apenas a esta abordagem preservacionista. Convidei-o a vir a Londrina para conhecer nossa região, nossa forma de produzir, nossa realidade regional e, especialmente, conversar com produtores. Ficamos de agendar uma data oportunamente.

Desde 2006

Conheço o Deputado José Sarney Filho desde 2006. Na ocasião, tanto ele, quanto eu, integramos uma comitiva paranaense, convidados pelo Governador Roberto Requião, que visitou a Polutec, em Lyon , França. Trata-se de uma feira de tecnologias ligadas ao meio ambiente. Em uma área que deve ter o dobro da do Anhembi, em São Paulo, conhecemos tecnologias de geração de energia, de reciclagem dos mais variados materiais, de coleta de lixo urbano, de filtragem industrial, de aproveitamento de água pluvial na agricultura e muito mais. Na ExpoLondrina 2007, uma destas tecnologias de captação de água de chuva em cisternas móveis estilo “bolsa inflável” , foi apresentada ao público.

Com o Ministro Minc

Conversei com o Ministro Minc na Embrapa , antes e logo após o evento de lançamento do ZAE-CANA. A idéia é agendarmos uma audiência para breve.

Discurso do Minisro Minc

Em seu discurso , o Ministro Minc rebateu algumas notícias recentes de jornais que afirmaram que o carro à álcool seria mais poluente que o carro à gasolina. Afirmou categoricamente que o balanço de emissão de carbono dos carros à alcool é zerado , ou seja , o que se produz pela queima do combustível é totalmente compensado pelo processo de fixação de gaz carbônico pelas lavouras de cana que originam o álcool

Discurso da Ministra Dilma

É a candidata do governo. Tanto o Minc quanto o Stephanes fizeram questão de enfatizar que a Ministra Dilma esteve sempre na coordenação do processo de desenvolvimento do ZAE-CANA. Fez uso da palavra e lembrou que a cadeia da cana selou recentemente um acordo de procedimentos que praticamente elimina a possibilidade de ocorrência de trabalhadores em condições de semelhança à da escravidão. Também que o modelo apresentado exclui a possibilidade da cana-de açúcar comprometer a produção de alimentos ou o meio ambiente. Fez outras colocações pertinentes, claro, mas estas foram as mais enfatizadas em seu discurso.

Discurso do Ministro Stephanes

Fez a exposição do ZAE-CANA. Enfatizou que hoje a cultura da cana-de-açúcar ocupa apenas 1% do território nacional e que o Zoneamento agroecológico da Cana disponibiliza mais 1% a ser selecionado em uma área equivalente a mais de 60 milhões de hectares, dez vezes mais do que o necessário. Lembrou também que as próximas lavouras do setor deverão ser implantadas em terrenos com baixa declividade pois deverão obrigatoriamente serem aptas à colheita mecanizada, eliminando as queimadas. Entre outras coisas, afinal o trabalho é sofisticado tecnicamente. Provavelmente amanhã já estaremos com uma versão em pdf disponível no site da Rural.

Discurso do Presidente Lula

Desta vez o Presidente não fez uso da palavra. Estava com pressa.

Meu discurso

Essa vez não teve, né. Não estou com essa bola toda.Mas dei entrevista para o Blog do Planalto. Não sei se foi postado, mas que fui entrevistado , fui.

Principais pontos do ZAE-CANA

-Proteção de áreas com vegetação original nativa e proibição do plantio nos biomas Amazônia,
Pantanal e na Bacia do Alto Paraguai;
-Plantio da cana-de-açúcar em áreas onde o uso da água seja o menor possível;
-Projeto de Lei que orienta o crescimento do plantio com base na segurança alimentar e sem
prejudicar a produção de alimentos;
-Buscar novos espaços para produção de cana aproveitando áreas de pastagens ou aquelas ocupadas pela pecuária

Outros pontos

-Eliminação gradativa das queimadas;
-Proibição de desmatamento para a introdução de plantio de cana-de-açúcar ;
-Manutenção dos projetos já implantados e seus respectivos planos de expansão já aprovados,mesmo que não estejam nas novas áreas do ZAE-CANA

No Paraná

No Paraná, as áreas identificadas como adequadas ou, utilizando a terminologia correta, as áreas antropizadas para expansão do plantio situam-se especialmente nas regiões norte e noroeste do estado. Na região do arenito , com grande incidência de pastagens degradadas. Há uma convergência evidente entre o plano e o processo comercial já em andamento que aponta para uma expansão das áreas de cana-de-açucar exatamente nestas regiões.

Zoneamento agroecológico é inédito no mundo

O zoneamento agroecológico da cana-de-açúcar é, sem dúvida, um trabalho pioneiro e único no mundo. Houve um estudo com profundidade das questões agronômicas, climáticas e ambientais sobre o plantio da cultura no Brasil. A declaração é do ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes. Stephanes informou que haverá 64 milhões de hectares aptos para o cultivo da cana e se estima que, entre 8 e 10 anos, os produtores utilizarão mais seis milhões de hectares, o que é suficiente para dobrar a produção de cana-de-açúcar. Isso significa que o investidor terá muitas opções.
As instituições responsáveis pelo estudo foram a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e a Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais .

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Hoje , direto de Brasília.

Hoje estou postando diretamente daqui de Brasília. Como nesta quinta-feira participaremos da solenidade de anúncio do zoneamento econômico-ecológico da cultura da cana-de-açucar,antecipei a vinda para a quarta e , assim, pude construir uma agenda produtiva para a Rural ao longo de toda a quinta-feira.

Comentários

Aparentemente estava impossível postar qualquer comentário neste blog em função da configuração desenhada. Espero que com a nova configuração que acabei de fazer, os visitantes do blog possam manifestar-se.

Reunião com Sarney Filho

Nesta quinta, tenho reunião marcada com o Deputado Federal Sarney Filho , lider da bancada ambientalista do congresso. Vamos conversar um pouco , especialmente à respeito das questões ambientais que impactam diretamente no setor agropecuário. Sinceramente, acredito que seja possível conciliar produção e preservação e o diálogo certamente é pré-requisito para qualquer avanço nestas questões .

Ministro Stephanes será homenageado pela Rural

Já convocamos uma Assembléia Geral Extraordinária para apreciarmos a concessão de título de sócio benemérito ao sr. Ministro da Agricultura Pecuária e Abastecimento Reinhold Stephanes. Trata-se da maior honraria prevista em nosso estatuto e se justifica pelo excelente trabalho frente ao Ministério da Agricultura.

Rural tecnoshow terá pastor alemão , boxer , pincher...

Pelo quarto ano seguido , o Rural Tecnoshow abrigará o Royal Canin Dog Show. Evento internacional , premiando com título pan-americano os cães participantes, atrai criadores do Brasil inteiro , além de juízes internacionais. Quanto à variedade de raças, é incrível: todas as raças criadas no Brasil estarão competindo em Londrina . Trata-se de um evento muito bacana e Londrina tem excelentes criatórios de diversas raças que normalmente se destacam .

Zoneamento econômico ecológico da cana-de-açucar

Nesta quinta, o Presidente Lula anunciará o zoneamento econômico-ecológico para o cultivo da cana-de-açucar. Participam da cerimônia , ´que será realizada na Embrapa aqui de Brasília, os Ministros Stephanes, da Agricultura , e Minc, do Meio Ambiente. Importante para a agricultura brasileira, mais ainda pela mensagem internacional de responsabilidade ambiental na produção de etanol.

Áreas proibidas e prioritárias

Segundo fui informado, o presidente deverá anunciar dois projetos de lei , um que proibirá o plantio de cana em uma área equivalente a 81% do território nacional, incluindo aí regiões amazônicas, pantaneiras e outras. O outro, deverá indicar áreas onde haverá interesse preferencial ao cultivo da cana. Representará 1% do território nacional, o dobro das áreas atualmente ocupadas para tal cultivo. Nesta área prioritária, haverá incentivo através de linhas de créditos e outras medidas que deverão ser anunciadas ou elaboradas em um segundo momento. Nos 18% restante das áreas brasileiras, haverá permissão para o plantio, dividindo o cultivo com todas as outras atividades agropecuárias, mas não haverá incentivo.

4º Rural Tecnoshow



Dia 28 de setembro começa a quarta edição do Rural Tecnoshow. É o principal evento da Rural no segundo semestre e procuramos dar uma atenção toda especial à tecnologia , ao conhecimento , aos principais temas em discussão no setor.

Origens

O Rural Tecnoshow surgiu para substituir a EuroZebu, feira agropecuária criada para ser um evento voltado para valorizar a comercialização de reprodutores , tanto de bovinos de origem européia quanto zebuína, daí o nome.

Quatro anos atrás...

Há quatro anos , durante a EuroZebu , foi realizado um leilão de gado de corte que contou com bovinos oriundos do Mato Grosso do Sul de uma propriedade vizinha a uma outra onde foi diagnosticada febre aftosa em bovinos. Isso desencadeou um rede de correlações e vínculos que acabaram por gerar a decretação de quatro ou cinco focos de febre aftosa no estado do Paraná.

Afinal , havia febre aftosa?

Pois é, quem subsidiou a decretação dos focos garante que havia a doença por aqui ou, ao menos, justificativa protocolar para se decretar focos através do critério do “vínculo epidemiológico”. Pelo contrário, os criadores que tiveram seus animais abatidos jamais admitiram tal hipótese. Como quase toda questão polêmica em nosso país, a palavra final ,que neste caso deveria ser dada por um especialista, um veterinário, ficará a cargo de um juiz.

Mudança de nome

O impacto à época foi tão grande que resolvemos, já em outubro de 2006, modificar não apenas o nome do evento de EuroZebu para Tecnoshow, mas também mudar o foco (sem trocadilho). Ao invés de mantermos as principais atenções do evento em torno da exposição e comercialização de bovinos, optamos por valorizar a tecnologia e o conhecimento científico. De forma natural, aos poucos uma importante agenda comercial e zootécnica, tanto bovina quanto eqüina, acabou se incorporando a programação geral.

Condição sanitária

Uma das mais importantes palestras do evento deste ano será aquela a ser proferida pelo Ignácio Kroetz , Secretário Nacional de Defesa Agropecuária. Discorrerá sobre a condição sanitária do rebanho bovino nacional e também sobre o atual modelo de rastreamento e certificação bovina.

Paraná : zona livre de aftosa sem vacinação?




Certamente caminhamos nesta direção. Nestes quatro últimos anos, o Paraná cumpriu todo os protocolos internacionais e, fazendo-se uma simples analogia com nosso estado vizinho Santa Catarina, que já é considerado livre de febre aftosa sem vacinação, concluímos que estamos próximos a evoluirmos nossa condição sanitária a um patamar similar ao do vizinho ao sul.

O que significa sermos considerados zona livre de aftosa sem vacinação?

Essencialmente que vamos parar de vacinar. Como conseqüência, quando isto ocorrer, deveremos estar sujeitos à uma diferente política e controle de trânsito de animais e derivados em nossas fronteiras. Além disso, o que será muito bom, abre-se a perspectiva de nos credenciarmos a exportar carne bovina, inclusive a resfriada, para os principais clientes mundiais, incluindo-se os países europeus, asiáticos e até mesmo os EUA, no futuro.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Investimentos industriais

Esta condição sanitária e a perspectiva comercial que se abre é um grande estímulo para que novas plantas frigoríficas sejam construídas no estado voltadas ao atendimento destes mercados, impulsionando de maneira diferenciada não apenas o setor primário, mas também o industrial. Produzindo carne com a melhor condição sanitária mundial, automaticamente serão atraídos para o estado investimentos ao longo de toda a cadeia produtiva gerando benefícios não apenas a produtores: serão investimentos que se iniciarão nas fazendas e se estenderão até os portos. Vamos aguardar ...

Vagas esgotadas

Quatro cursos no Rural Tecnoshow estão com vagas esgotadas.
Os cursos de Conservas, Pastagens, Gerenciamento Técnico e Econômico do Rebanho e BMF: Mercado Futuro e Custos de Produção estão com as vaga esgotadas. Mas ainda existem vagas para os outros cursos e também palestras.
Vale a pena conferir a programação no site http://www.srp.com.br/ pois está muito boa e é gratuita! As inscrições podem ser feitas pela internet ou pelo telefone 3378 2000.

Estrangeiros no Mato Grosso

O pressidente da Associação dos Produtores de Soja do Mato Grosso (Aprosoja), Glauber Silveira, estima que 3 milhões de hectares de terras do estado estão em mãos de investidores estrangeiros.Os fundos de investimento internacionais compram terras diretamente ou o fazem através de parcerias com empresas brasileiras.

É bom ou ruim?

Depende. Se estes investimentos forem capazes de capitalizar a nossa agropecuária, através da injeção de recursos estrangeiros, certamente fará bem. Caso, por outro lado, crie distorções fundiárias importantes, estas poderão inviabilizar economicamente o produtor individual, que não conseguirá competir sem contar com os benefícios da economia de escala . Sob este cenário, os grandes empreendimentos, que podem ser também brasileiros, acabariam por incorporar paulatinamente as características propriedades rurais do estado. A rigor, não se trata de uma questão de nacionalidade, mas sim, de competitividade e viabilidade da média e pequena propriedade do centro-oeste brasileiro.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Quinta em Brasília

Quinta-feira estarei em Brasília representando a Rural no lançamento do zoneamento agrícola da cana-de açucar. O plano será apresentado pelo Presidente Lula e pelos Ministros Reinhold Stephanes e Carlos Minc. Pelo jeito, ao menos nesta questão houve entendimento entre os dois ministérios. A expectativa é que este zoneamento exclua regiões do Pantanal e da Amazônia para fins de produção de cana-de-açucar.

ANPAQUI no Parque

Hoje a ANPAQUI, Associação Norte Paranaense dos Aquicultores, promoveu uma confraternização com seus sócios em suas novas instalações no Parque Ney Braga. No cardápio , claro, tilápia, pacu , dourado.... Temos certeza de que a Aquicultura será uma importante atividade econômica em nossa região que já é modelo nacional em termos de tecnologia e qualidade de produção.
Segundo os dados do Ministério da Pesca e Aquicultura, o mercado global de pescado movimenta, por ano, em torno de US$ 93 bilhões. Em 2007, o Brasil teve uma participação de apenas 0,03% nesse mercado.

Norman Borlaug morreu

O cientista norte-americano Norman Borlag faleceu sábado. Ele foi vencedor do Prêmio Nobel da paz em 1970 pelo seu trabalho de combate a fome no mundo.

Revolução Verde

Ele foi considerado o grande responsável pela Revolução Verde mundial que possibilitou ao mundo duplicar a produção mundial de alimentos entre os anos 60 e 90. Em regiões como o Paquistão e a Índia, onde atuou diretamente, essa produtividade quadruplicou.

Um bilhão de vidas salvas

Estima-se que Borlaug tenha literalmente salvo da morte cerca de um bilhão de pessoas através da seu trabalho que se baseava fortemente na disseminação de sementes de variedades melhoradas .

Baby Boom

Bourlaug começou a trabalhar logo após o fim da segunda guerra mundial , período que nosso planeta experimentou uma explosão demográfica em razão das melhorias nos sistemas públicos de saúde, entre outras coisas. Seus trabalhos com variedades melhoradas de trigo mais resistentes a pragas e posteriormente com arroz e milho foram determinantes no desenvolvimento da agricultura da Ásia , Oriente Médio , América do Sul e África.

Modelo perto da exaustão?

Atualmente, este modelo de agricultura baseado em variedades de sementes melhoradas e na utilização de fertilizantes e pesticidas químicos tem dado sinais de exaustão. Este modo de produzir que fundamenta a moderna agricultura americana, brasileira e de tantas outras partes do mundo, não conseguiu evitar o estarrecedor número de 1 bilhão de famintos anunciados pela FAO este ano.

Agroecologia e transgenia

Não se sabe ao certo como poderemos enfrentar o desafio de , até 2050 , aumentarmos a produção de alimentos de forma a atender a população esperada de 9 bilhões de habitantes em nosso planeta. Hoje , somos apenas 6, 8 bi . Antes da revolução verde e do baby boom , éramos apenas 2 bilhões .Parece evidente que uma nova revolução verde se fará necessária e muito se discute se ela se dará através de uma agricultura fundamentada na diversificação, na pequena propriedade , baseada na fertilização oriunda dos sistemas de compostagem ou da agricultura empresarial , reforçada especialmente por variedades transgênicas com menor dependência hídrica e capazes de produzir seu próprio nitrogênio. Vamos aguardar , ou melhor , trabalhar para ver.

domingo, 13 de setembro de 2009

Chuva artificial

O momento não parece ser o mais adequado , afinal , estamos vivendo dias de chuvas excessivas em nossa região. Entretanto , há alguns meses , foi a falta de chuva que comprometeu nossa safra regional de soja e milho. É por isso que já há algum tempo a tecnologia brasileira da chuva artificial já foi desenvolvida e já é utilizada em São Paulo.

Nossa chuva artificial não usa produtos químicos

A tecnologia brasileira de chuvas artificiais utiliza apenas água como desencadeador da precipitação de nuvens. Os métodos anteriormente conhecidos se utilizavam de aglutinantes químicos como o iodeto de prata e o cloreto de sódio.

Desde 2001

A produção de chuvas artificiais está sendo aprimorada desde 2001 em conjunto com a Sabesp –Companhia de Saneamento Básico de São Paulo . A Sabesp tem especial interesse nas chuvas artificiais para garantir o contínuo enchimento das represas paulistas responsáveis pelo abastecimento de aproximadamente 20 milhões de pessoas que vivem na região metropolitana da São Paulo.

Prêmio Internacional

Esta tecnologia brasileira já ganhou até prêmio internacional. Em 2005, ganhou a medalha de ouro no VII Symposium International de L”eau em Cannes, França.

Aplicações

-Complexos de reservatórios de água - abastecimento das cidades.
- Usinas hidrelétricas - Aumento de energia.
- Centros urbanos – Redução da poluição do ar.
- Agricultura - Garantia de mais água para a safra.
- Unidades de Conservação – Parques, florestas – Umidificação e prevenção de incêndios.
- Regiões secas - como Nordeste.
- Regiões de terras exauridas – Recuperação de solos e revegetação

Convite

Estamos contatando esse pessoal para tentar agendar uma palestra ou apresentação durante a ExpoLondrina 2010. Além de fazer chover , esta turma ,que é originária do famoso I.T.A. , também desenvolve trabalhos com reflorestamento e tecnologias de recomposição da camada de ozônio.

Mais convites

Atendendo sugestão de nosso ex-presidente Neco Garcia , estamos enviando convites para alguns senadores americanos ligados à nova legislação climática americana que já manifestaram interesse em conhecer nossa região , nossa agropecuária e também Foz do Iguaçu , por que ninguém é de ferro. Segundo Neco , os mecanismos de compensação de emissão de gases de efeito estufa da futura legislação americana poderão incluir a remuneração por preservação de áreas florestais em outros países, incluindo o Brasil. Neste cenário , o diálogo com tais senadores será extremamente proveitoso.

sábado, 12 de setembro de 2009

Legislação Climática Americana

A tramitação da nova Legislação Climática Americana está parada até o final de setembro. A expectativa era de que a tramitação do projeto de lei Waxman-Markey fosse iniciado em agosto mas os senadores John Kerry e Barbara Boxer, relatores da matéria informaram que irão esperar até o final de setembro para introduzir o projeto no Senado.

Morte , Cirurgia e Saúde.

Diversos motivos foram citados para justificar o adiamento, como a morte do Senador Ted Kennedy, uma cirurgia do senador Kerry e a batalha política sobre o sistema de saúde norte-americano.

Redução de Gases do Efeito Estrufa

A Legislação Climática Americana pretende criar um sistema de comércio de emissões de gases de efeito estufa e de créditos de carbono como base para reduzir a emissão dos referidos gases responsáveis pelo aquecimento global.

Lobby

Segundo a ONG Norte-Americana E.D.F. , Environmental Defense Fund, os principais opositores à legislação climática americana gastam 1 milhão de dólares por dia em suas ações de lobby , que são legais nos Estados Unidos.

Bancada Anti-Aquecimento

Ainda segundo a E.D.F , a legislação climática americana contaria , atualmente, com o apoio da maioria dos senadores americanos. Até 2007 , a maioria dos senadores eram contrários à uma legislação climática.

Copenhagen

Existe uma grande pressão para que a legislação seja aprovada antes da Conferência das Nações Unidas em Copenhagen, que se realizará em dezembro deste ano. Este encontro pretende definir um novo tratado global para substituir o protocolo de Kioto que expira em 2012.

Vai ser difícil

O congresso americano tem priorizado a discussão de projetos relativos à saúde e economia o que faz com que muitos sejam céticos quanto à possibilidde de se aprovar uma legislação climática antes do encontro de Copenhagen. A importância da aprovação anterior ao encontro se dá porque a comunidade mundial ficaria muito mais segura sabendo que as posições americanas contariam com o amparo legal essencial para a implantação de qualquer compromisso internacional .

Expectativa Internacional I

Jeff Kenna, executivo-chefe da empresa contabilizadora de carbono Camco International, disse ser improvável que o Senado aprove neste ano uma legislação climática com um sistema de limites e créditos para as emissões de gases do efeito estufa. Ele acredita que os Estados Unidos virão a se tornar o maior mercado global de créditos de carbono, mas apenas em 2012 ou 13.

Expectativa Internacional II

Lex de Jonge, presidente da comissão da ONU que concede créditos por projetos de energia limpa, sob o processo conhecido como Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL), disse estar "muito feliz com os desenvolvimentos sob Obama".

Expectativa da União dos Cientistas Preocupados

Alden Meyer, diretor de estratégia e política da União de Cientistas Preocupados (você sabia que existia uma União de Cientistas Preocupados ? ), disse que parte da comunidade internacional está frustrada com a demora na tramitação da legislação climática dos EUA.

Lei Climática e Inflação dos Alimentos

Algumas das maiores empresas de alimentos e de agronegócios dos Estados Unidos se mobilizaram para tentar mostrar como o projeto de lei para combater o efeito estufa que tramita no Congresso americano é mal concebido e pode causar inflação nos alimentos.
Trata-se de gigantes agrícolas, que inclui Archer-Daniels-Midland, Cargill, Tyson Foods e General Mills, que afirmam que suas empresas poderão arcar com uma porção maior dos custos dessa legislação.

Indústria da Carne

A indústria de carne teme particularmente que a nova lei possa impor restrições à capacidade de suas operações de criação e engorda gerarem créditos de carbono, que compensariam as emissões de gases do efeito estufa. Fabricantes de alimentos e produtores de carne produzem dióxido de carbono de várias maneiras, seja com caminhões para transportar os produtos ou com abatedouros que usam energia gerada por gás natural.Será que o JBS , grupo brasileiro que atua nos EUA ,também está nesta parada?

Como Funcionaria, Resumidamente.

Pelo projeto de lei contra o efeito estufa, um crédito de carbono é gerado quando uma empresa reduz a quantidade de gases nocivos lançados na atmosfera.
Criadores de animais, por exemplo, deveriam obter créditos capturando metano de lagoas de estrume, entre outras coisas. Os créditos criados assim poderiam ser vendidos a outros poluidores ou usados pelo próprio produtor para diminuir o seu total de emissões. Algumas empresas teriam de pagar multas se emitirem mais carbono que o permitido sem comprar créditos.

Quem mais não está gostando

Entre os outros integrantes da coalizão estão a Associação de Fabricantes de Alimentos, o Instituto Americano da Carne e o Instituto Americano da Comida Congelada. O grupo foi criado informalmente há uns dois meses, mas se tornou mais ativo agora, depois de concluir que seus integrantes não obtiveram concessões suficientes na lei aprovada pela Câmara. O Senado deve votar sua própria versão da lei apenas a partir do final de Setembro.

O que se Conseguiu

O lobby agrícola obteve várias concessões na Câmara, como isenção do controle de várias fontes de carbono, tais como fertilizantes que , cá entre nós , é emissor de gases do efeito estufa. A uréia , principal fonte de Nitrogênio utilizada nas lavouras , é derivada do Petróleo e origina o Óxido Nitroso, 300 vezes mais impactante no aquecimento global do que o gás carbônico. O projeto da Câmara também criou vários programas para ajudar os produtores rurais a gerar créditos de carbono que compensem suas próprias emissões.

Grandes Empresas Queriam Mais

As grandes empresas de alimentos e de agronegócio acham que não receberam o suficiente. Numa carta enviada mês passado para os senadores Barbara Boxer e James Inhofe, o grupo alegou que o projeto da Câmara vai aumentar o preço dos alimentos e da ração e reduzir a competitividade internacional das empresas americanas.A carta diz que o Congresso deve exercer cautela extrema para evitar impactos adversos na estabilidade do suprimento, preço, segurança e acessibilidade dos alimentos para os produtos de consumo necessários. A carta também criticou o projeto da Câmara dizendo que ele não oferece assistência de transição para famílias de baixa renda que lutam contra a inflação dos alimentos.Surpreendente a preocupação social destas empresas. Tocante.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

A Semana de Moda de Nova York começou quinta-feira. E daí?

Pois é, a Semana de Moda de Nova York começou nesta quinta-feira com uma mensagem simples para os consumidores interessados em estilo: gastem. Os estilistas esperam inspirar confiança nos consumidores enquanto reavaliam o funcionamento do setor da moda durante a pior recessão dos últimos 70 anos nos EUA, durante a qual as vendas dos varejistas americanos vêm caindo mensalmente há um ano. A Semana de Moda de Nova York, que acontece duas vezes ao ano e é seguida pelas semanas de moda de Londres, Milão e Paris, é promovida para que varejistas e a mídia vejam as tendências futuras da moda.

Os consumidores americanos consumiram menos este ano. E daí?

Os consumidores americanos compraram em média 64 peças de roupa e sete pares de calçados em 2008, contra 67 peças de roupa e oito pares de calçados em 2007, segundo a Associação Americana de Roupa e Calçados. Isto se explica pelo índice de desemprego ao redor dos 9,7%.

Moda é a Segunda Maior Indústria de Nova York. E daí?

A moda é a segunda maior indústria de Nova York, perdendo apenas para o setor financeiro. A cidade sedia mais de 800 empresas de moda, emprega 175 mil pessoas e gera 10 bilhões de dólares em salários. "Cabe à indústria da moda esforçar-se ao máximo e criar coisas que levem as pessoas a dizer ´não posso deixar de comprar isso,´" Quem disse isso foi Fern Mallis, vice-presidente sênior da IMG Fashion, que promove o evento de Nova York, conhecido oficialmente como Semana da Moda Mercedes-Benz. Já a estilista mundialmente famosa Donna Karan disse que"Precisamos fazer o consumidor se engajar e compreender a importância do que faz - que não está fazendo compras apenas para ele, mas para fazer uma diferença no mundo e manter uma indústria que é necessária".

A Moda não é só indústria urbana: é Agropecuária também. Aí é que está.

É lógico , a moda influencia diretamente a agricultura. A produção de algodão , lã , couro , seda , pigmentos naturais , borracha , entre outras matérias primas não tão óbvias , tem seu mercado imensamente influenciado pela moda sazonal .O hábito de grande parte da população de consumir vestuário, não apenas como artigo de primeira necessidade , mas também como opção supérflua. impacta diretamente a agricultura mundial.Normalmente , não nos damos conta das conexões entre os diversos setores da economia ,mas eles estão aí. Com a crise mundial, o preço do couro baixou vertiginosamente e um dos motivos é a diminuição de seu consumo pela indústria automobilística . Esta indústria consome uma importante quantidade de couro para revestir os bancos dos automóveis pelo mundo à fora. No Brasil , nossa indústria automobilística passou bem pela crise mas, lá fora , a venda de carros simplesmente despencou.E sobrou couro de boi para forrar banco... Andei pesquisando na Internet à procura de algum trabalho que tenha quantificado em valores o impacto da indústria da moda na agricultura mas não encontrei nada mais consistente.

Cachaça for Export

O reconhecimento da cachaça como bebida tipicamente brasileira pelos Estados Unidos deve ocorrer no primeiro semestre de 2010. A declaração é do presidente da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Cachaça, Vicente Bastos Ribeiro, que conduziu os trabalhos da 19ª reunião ordinária do setor, nesta quinta-feira ,em Brasília. Até hoje , nossa cachaça nos Estados Unidos é legalmente classificada como rum que , apesar de ser também derivado da cana-de açúcar , é produzido de forma diferente.

Cachaça no lugar do Bourbon

Os Estados Unidos também devem se destacar como o maior importador da cachaça brasileira até final de 2010. Hoje, o nosso maior comprador é a Alemanha, mas a tendência é que os norte-americanos alcancem a primeira posição.

Cachaça na Mídia

O setor produtivo da cachaça pretende elaborar uma campanha publicitária para o setor. A idéia é apresentar ao núcleo de comunicação do MAPA e demonstrar a importância do produto na agricultura brasileira, sugerindo o período ideal para veiculação, público-alvo e os principais estados que deveriam ser contemplados.

Cachaça aos Bilhões

A produção nacional da cachaça é de 1,2 bilhão de litros e existem cerca de 30 mil produtores envolvidos no setor. As mais famosas são as mineiras , algumas do Nordeste , da região de Parati, também de Santa Catarina . Na nossa região temos cachaças muito boas , inclusive orgânicas , como a “Alavanca”, de Rolândia. É cachaça tirada do coração da coluna de destilação e envelhecida em barril de carvalho.

Valor Bruto da Produção é de R$ 153,4 bilhões este ano

Com a safra de verão concluída e as lavouras de inverno quase em final de ciclo, o Valor Bruto da Produção (VBP) para este ano está projetado em R$ 153,4 bilhões. Valor 4,1% inferior, em termos reais, ao obtido em 2008. Os relatórios da Conab e do IBGE mostram que a atual safra de grãos no Brasil foi marcada por estiagens ocorridas durante o plantio da safra de verão e excesso de chuvas e ocorrência de geadas que afetaram principalmente as lavouras de inverno.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Para os Alunos da Unifil

Conforme informado no e-mail encaminhado aos alunos da Unifil que estiveram na palestra "A Agropecuária do Futuro" , ontem à noite, o "Texto Interessante" está logo aí , na postagem abaixo.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Palestra na Unifil

Hoje proferi palestra na UNIFIL a alunos dos cursos de Veterinária, Agronomia e Gestão Ambiental. Trata-se de um ciclo de estudos com programação bem diversificada e interessante. A minha palestra, A Agropecuária do Futuro, foi bem técnica, mas procurei não aprofundar o tema em demasia para não ser muito massante. Não muito, porque quase toda palestra quando se está na faculdade é dose para leão. Sexta-feira pudemos conhecer diretamente com os Ministro Reinhold Stephanes e Daniel Vargas um pouco do planejamento estratégico ( a chamada Agenda Agrícola Séc. XXI), para a agricultura brasileira e aproveitei a ocasião para apresentá-lo, resumidamente. Acredito que se alguém tiver prestado um pouco de atenção certamente irá tirar um bom proveito de nosso encontro. Para a Natália, aluna de Veterinária, foi bem proveitoso: foi sorteada e ganhou um passaporte para todos os shows e rodeios da ExpoLondrina 2010.

Roterio do agronegócio

Quem esteve na Rural hoje à tarde foi o Sérgio Garcia Ozório, gestor do Projeto Turismo Norte do Paraná, do SEBRAE. Há algum tempo já havíamos conversado sobre o projeto de criação de roteiros turísticos do agronegócio aqui na região e o que ele apresentou hoje já é algo muito consistente, praticamente pronto para ir ao mercado. Três roteiros do agronegócio já foram desenvolvidos, um deles aproveitando o potencial turístico da represa de Xavantes que se integra à Rota do Café que, por sua vez, pode ser integrado ao roteiro do Agronegócio. Tudo isso ainda conectável a uma eventual escapada até Foz. Os roteiros turísticos incluem o Museu Histórico, fazendas de café e institutos de pesquisa, dependendo de sua formatação. Sem dúvida um excelente trabalho capaz de incrementar toda a cadeia de turismo regional, rede hoteleira, empresas de transporte, alimentação, agências de turismo, fazendas etc... Apoiamos conceitualmente e institucionalmente esta iniciativa do Sebrae Paraná.

ANPAQUI

Esse é o nome da Associação Norte Paranense de Aquicultores que acaba de mudar-se para a Rural. Durante o dia a presidente Petra Maria Wagner acompanhou a mudança e esteve na diretoria assinando a documentação necessária para a utilização do espaço aqui no Parque Ney Braga. Inicialmente ficarão instalados na antiga sala da Coopercapana que devido ao crescimento, mudou-se para uma sala ao lado um pouco maior. A Aquicultura pode ser uma excelente alternativa de diversificação nas propriedades rurais e a presença da ANPAQUI certamente favorecerá o intercâmbio de informações , assim como o crescimento do próprio negócio.Muito bom.

Perda de Produtividade

Segundo divulgou hoje a CONAB, colhemos a segunda maior safra de nossa história. Apesar de termos aumentado a área de plantio nossa safra encolheu mais de 6%. Tivemos perdas importantes de produtividade aqui no Paraná em função da estiagem: o relatório detalha muito bem estas perdas.

Segunda maior safra da história

Brasília (8.9.2009) - A produção nacional de grãos da temporada 2008/2009, encerrada neste mês, é a segunda maior da história do País. De acordo com o 12º levantamento da safra, divulgado, nesta terça-feira (8), pela Conab, a colheita total fechou em 134,3 milhões de toneladas, atrás das 144,14 milhões toneladas do período anterior (-6,8%).

Estiagem atrapalhou

Algumas culturas tradicionais, como milho e soja, sofreram com a estiagem ocorrida no Centro-Sul, prejudicando a produtividade nos estados do Paraná, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul. A produção da leguminosa alcançou 57,1 milhões de toneladas, sendo cerca de 90% nos estados do Centro-Sul e o restante nas regiões Norte/Nordeste. Já o milho total (1ª e 2ª safras) atingiu 50,1 milhões de toneladas, com destaque para os estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Goiás, Bahia e Tocantins.

Aumentou a área

Por outro lado, a área plantada deste ciclo totalizou 47,7 milhões de hectares, o que representa aumento de 0,6% sobre a da safra passada, de 47,4 milhões hectares. A extensão ocorreu, principalmente, nas lavouras de soja (21,7 milhões hectares) e milho 1ª e 2ª safras (14,1 milhões hectares). Somadas, representam mais de 75% da área cultivada.

Estiagem ajudou

A estiagem que prejudicou as culturas de soja e milho, no Mato Grosso, beneficiou, por outro lado, as lavouras de arroz no estado gaúcho, que teve recorde de produtividade ao sair de 6.902 kg/ha para 7.150 kg/ha.

Plantamos mais feijão , mas colhemos menos

O feijão total também aumentou em área: de 3,99 para 4,18 milhões hectares (+4,7%). Já a produção da leguminosa sofreu pequena redução: de 3,52 para 3,50 milhões de toneladas (-0,5%).

Balanço do Matsuri

Hoje , certamente teremos as primeiras informações à respeito dos resultados do Matsuri 2009.Fui duas vezes , sempre com bom público e a organização impecável . Esta foi a segunda vez que o Matsuri se realiza no Parque Ney Braga e , pelo jeito , não sai mais.

100 Milhões de mudas de árvores nativas

Recebi o release à respeito das comemorações relativas ao Programa Mata Ciliar que anuncia o plantio da centésima milionésima (acho que é assim que se escreve) muda de árvore nativa no Paraná. A solenidade será no Dia da Árvore, 21 de setembro, às 15 horas, no Jardim Botânico de Londrina, onde autoridades e parceiros do Programa Mata Ciliar plantam 100 espécies de árvores nativas do Paraná, que formarão o "Jardim dos Milhões", a primeira coleção de plantas do Jardim Botânico de Londrina.
Sinceramente , acho espetacular. Não é fácil transformar um discurso em prática. Mais complexo , é transformar um discurso , no caso ambiental , em política pública.

Barões do Café

O Paraná nem tanto, mas São Paulo teve os seus Barões do Café. Eram os antigos grandes proprietários rurais que possuim muitas vezes 1 milhão, 2, 3 até cinco milhões de pés de café. O próprio Santos Dumont, era filho de um Barão do Café e é por isso que pode investir tanto tempo e recursos em Paris, no desenvolvimento de suas máquinas voadoras. Poderosos, influenciavam a política através de sua importância econômica em um país pouco industrializado. E quem planta 100 milhões de mudas de árvores nativas? Também é Barão? Será que o patrimônio ambiental algum dia, também será substrato do poder?